Meu Rio Uru

 

MEU RIO URU

 

Rio Uru, rio que guarda muitas lembranças e histórias, e das suas margens nasceram várias cidades, uma delas é Heitoraí, cidade pacata e hospitaleira que fica no interior de Goiás…Como você já foi lindo com seus cílios, havia mais vidas nas suas margens, (animais, pássaros, plantas) mas as pessoas não tiveram consciência com você, e te arrasaram, te destruíram, te machucaram por causa de uma maldita e consciência capitalista.

Meu Rio Uru, como você era lindo com suas águas azuis, cheias de peixes e animais, mas as pessoas não tiveram pena de você e te feriram, desmataram suas margens para plantar pastagem. E montar acampamentos turísticos, não respeitando você, arrancaram suas matas ciliares, agora suas margens estão aptas a desmoronar, também mexeram no seu leito com a retirada de areia com as malditas “dragas”, o que será de você? Muitas vezes fico lembrando das suas belezas! Quantas coisas eu lembro de você! Quando meus antepassados, meus familiares falam que muita gente já caçou nas suas matas, pescou nas suas águas, mas hoje eu não posso fazer o mesmo. Pois você está a cada dia sendo destruído por falta de consciência humana.

Estão loteando e vendendo você, até parece que rio tem dono!

Meus pais e parentes, que são pessoas mais velhas do que eu, me falaram que você era muito mais lindo, muito mais piscoso, em sua diversidade de bichos, plantas e pássaros. Me contaram tantas outras histórias de você que às vezes eu até duvido!

Histórias lindas! Histórias mitológicas! Como a das temidas sereias que apareciam nas pedras e quando algum pescador encantado pela sua beleza e de seu canto aventuravam de ir até ela, ele era levado para o fundo do rio e nunca mais ninguém o via, também do moleque d’água, que espantavam os peixes dos anzóis e rasgavam as redes, são muitas histórias verdadeiras e mitológicas sobre você! “Meu Rio Uru”!

Falaram-me também que seu vale, antes da destruição de suas matas e das queimadas, dos tratores e agrotóxicos, era povoado por diversas variedades de pássaros e animais, antes de chegar a estrada preta (asfalto) e da monocultura da cana-de-açúcar, tudo era mais vistoso mais lindo!

Mas hoje as pessoas reclamam e lamentam, pois você está morrendo! E quem esta te matando? É o próprio homem, justamente quem mais precisa de você para a sobrevivência, para a produção agrícola, para a pecuária e também para o lazer aos finais de semanas, como a pesca, o turismo rural ecológico. Penso e me pergunto por que poluímos e envenenamos o que nos dá tanta fartura, lazer, alegria, divertimento, alimentos e principalmente nos dá vida? Podemos fazer alguma coisa? Está a tempo ainda? Juntos e unidos vamos pensar numa saída! Podemos juntos mudar a realidade catastrófica que está ocorrendo em nosso manancial “O Rio Uru”? Sim podemos, ainda está a tempo, mas para isso é preciso antes de partir para a prática, é importante conscientizar as pessoas.

E com o primeiro passo feito, podemos juntos reflorestar as suas margens e protegê-las para que as mesmas possam reagir por si próprias, e com o tempo voltar a ser mais verdes e mais viscosas.

Falar e redigir um texto é muito fácil, difícil e colocar as idéias em prática, eu ainda acredito nas pessoas, e se cada uma acreditar, quem sabe podemos salvar o nosso “Rio” para que nossos filhos, filhos de Heitoraí possam ver e viver o que nossos avós viram e viveram.

 

 

Luciano Rodrigues Coelho